Design Sprint: O Segredo Das Estratégias Efetivas

Já imaginou ter quase 100% de certeza de que uma estratégia vai dar certo? Com o Design Sprint é bem possível chegar próximo disso.

Um método poderoso para desenvolver ideias, resolver problemas, testar hipóteses e descobrir quais são os caminhos certos para que tudo funcione perfeitamente.

O Sprint foi concebido e é usado no google para testar e aplicar novas ideias em apenas cinco dias.

Se voc√™ quer mudar os rumos do seu produto ou neg√≥cio rapidamente, leia este post e fa√ßa o que n√≥s dissermos. ūüėČ

Design Sprint e fundamentos b√°sicos

O método foi desenvolvido pelo designer Jake Knapp durante sua carreira no Google.

Atualmente diversas startups e empresas no mundo todo vem utilizando o sprint para aperfeiçoar seus produtos e serviços de forma incrivelmente rápida e contínua.

E não é atoa!

O design sprint √© √ļtil para equipe de todos os tamanhos, de pequenas a grandes empresas, podendo ser aplicado para qualquer pessoa que tenha uma ideia, problema ou oportunidade para trabalhar.

Em suma, ele é baseado em 4 leis:

  • N√£o precisamos desenvolver para aprender com o usu√°rio.
  • √Č poss√≠vel ter um menor custo e tempo de desenvolvimento.
  • Precisa ser focado no usu√°rio.
  • Constru√ß√£o colaborativa de uma solu√ß√£o.

Nunca se esqueça de respeitar essas máximas durante todo o processo do sprint.

As 5 fases do Design Sprint

As fases também são o processo do design sprint.

A metodologia foi desenvolvida para testar e aplicar novas ideias em apenas cinco dias, então, não por coincidência as 5 fases devem ser realizadas cada uma em um dia da semana.

design sprint
Nenhuma imagem representa t√£o bem como o design sprint funciona quanto esta imagem.

Vamos aprofundar com mais detalhes cada uma dessas fases? Vem comigo.

1ª Fase: Mapear

Fa√ßa uma imers√£o do seu p√ļblico-alvo, requisitos t√©cnicos, an√°lise de mercado, jornada de consumo dos usu√°rios e mapeie tudo.

O foco aqui é entender seus usuários e sua experiência por completo.

2ª Fase: Faça esboços

Uma vez que tiver toda a experiência mapeada pelo passo anterior é hora de analisar.

Entenda os pontos focais de atuação e explore o quanto for possível de oportunidades de melhoria. E faça seus esboços Рeles precisam ser auto-explicativos.

Quanto mais ideias tiver nessa fase, melhor!

Não se esqueça de focar sempre no usuário, o sprint é para ele e não para você.

3ª Fase: Decida

Re√ļna todas as ideias num quadro e fa√ßa uma vota√ß√£o com o seu time.

Cada pessoa do time ter√° direito a dois votos – se empatar, o decisor do sprint desempata.

Escolha a ideia vencedora e parta para a próxima fase.

4ª Fase: Protótipo

Bora dar vida a possível solução?

Agora é hora de fazer um protótipo rápido da ideia escolhida.

Pense como exemplo que a ideia escolhida foi desenvolver um aplicativo ou website: você não precisa programar um app de fato para validar se vai funcionar, você só precisa de um protótipo.

Significa que uma versão visual próxima do resultado final será o suficiente para prosseguirmos para a próxima fase.

5ª Fase: Teste e Aprenda

A hora da verdade.

Nesta etapa nos vamos validar o protótipo por meio de testes com os usuários ou potenciais usuários e compreender a aderência da solução encontrada.

A dica aqui é validar com usuários reais, ou pessoas com o perfil ideal para o seu produto.

Preste muita atenção na validação para aprender com os erros e ter novos insights de melhorias.

A equipe ideal para o seu sprint

Para conduzir uma sessão de design sprint você vai precisar da equipe e do desafio certo, assim como tempo e espaço adequados.

Escolher as pessoas certas será tarefa simples se você seguir a lista abaixo.

O definidor

O definidor é quem decide pela equipe e é preferível que ele participe de todo o sprint Рcaso não seja possível, ele pode participar duas ou três vezes e delegar outro definidor que possa estar sempre presente.

Geralmente é um CEO, fundador, gerente de produto, designer-chefe ou diretor.

Especialista em finanças

O cara do dinheiro.

Pode ser um CEO, CFO, diretor financeiro ou gerente de desenvolvimento de negócios.

Especialista em marketing

Quem formula a comunicação e mensagens da sua empresa?

O sprint não deve acontecer sem o cara do marketing, mais especificamente o seu diretor de marketing ou agência parceira.

Especialista no seu consumidor

Esse é o cara que melhor entende o seu cliente.

Geralmente s√£o os vendedores ou algu√©m da √°rea de pesquisa ou atendimento que tem contato direto com seu p√ļblico-alvo.

Especialista em tecnologia ou logística

Neste caso é a pessoa que melhor entende o que sua empresa pode produzir e entregar.

Costuma ser um CTO, diretor técnico ou engenheiro.

Especialista em design

Quem faz o design para o que sua companhia produz?

√Č vital para o sucesso das ideias que ele esteja presente durante a sess√£o.

Os especialistas em design costumam ser gerentes de produto ou designers.

“A palavra “equipe” j√° est√° gasta, mas, em um sprint, uma equipe √© realmente uma¬†equipe. Voc√™s v√£o trabalhar lado a lado durante cinco dias.” – Knapp, Jake.

Quer uma dica de ouro para seu sprint ser enriquecedor? Inclua pessoas que não necessariamente concordam com você.

As ferramentas para o seu sprint

Existem in√ļmeras ferramentas de design thinking, administra√ß√£o e marketing que voc√™ pode utilizar numa sess√£o de design sprint.

Tem até websites e livros de apoio recheados delas!

Um deles é o famoso This is service design doing РThe method library, que disponibiliza um documento em pdf gratuito com dezenas delas.

Listarei na sequência as principais que utilizamos aqui na Alaska Рtanto para nós quanto para nossos clientes.

Os 5 por quês

Essa ferramenta serve para explorar os diversos aspectos de uma situação ou problema e descobrir suas causas primárias.

Como funciona?

Em uma folha de papel, escreva um problema ou situação inicial; Em seguida, pergunte POR QUE isso acontece e anote as respostas que surgirem;

Use o porquê anterior para guiar o raciocínio e explorar as diversas possibilidades, até chegar ao quinto por quê.

DICA: A ferramenta estimula o racioc√≠nio inverso e pode ajudar a levantar novas quest√Ķes que precisam ser respondidas.

HMW’s

How Might We’s, ou Como nós poderíamos.

How (Como): considera que a oportunidade existe.
Might (Poderíamos): diz que temos que achar algo.
We (Nós): é sobre fazer juntos.

A dica aqui é ter uma ideia por post-it e não ser muito amplo, nem muito específico.

Personas e Mapa de empatia

Essas duas ferramentas s√£o totalmente complementares e cruciais para qualquer sprint.

As personas auxiliam a direcionar a cria√ß√£o de solu√ß√Ķes mantendo o foco no usu√°rio e d√£o suporte na tomada de decis√Ķes.

Elas s√£o personagens fict√≠cios que representam comportamentos e necessidades dos usu√°rios e re√ļnem caracter√≠sticas significativas de um determinado grupo.

Mas como fazê-las corretamente?

Ap√≥s analisar um grupo de pessoas, busque identificar os padr√Ķes ou extremos que as caracterizam (por exemplo a faixa et√°ria, classe social ou perfil comportamental);

Então crie personagens combinando esses aspectos e usando como referência o grupo analisado e atribua um nome e crie histórias que ajudem a ilustrar as necessidades desse usuário fictício e que devem servir de inspiração em processos de criação de produtos ou serviços.

DICA: sua persona precisa ser fundamentada em dados reais, portanto use e abuse de pesquisas com seus clientes para cri√°-las.

Mas e o mapa de empatia?

Ele vai facilitar o processo de cria√ß√£o de persona al√©m de torn√°-la mais efetiva. √Č uma ferramenta famosa que integra Metodologia Canvas para Neg√≥cios.

Com ele você se colocará no lugar do seu cliente e verá a vida através do universo dele.

Para fazer o seu mapa de empatia, basta preencher a imagem abaixo com as informa√ß√Ķes obtidas nas entrevistas com o seu consumidor:

Mapa de Empatia

Veja um exemplo de um mapa preenchido.

Mapa de Empatia Exemplo
Exemplo de mapa preenchido

Jornada do Usu√°rio – Customer Journey

A Customer Journey é uma representação gráfica das etapas de relacionamento de usuários com os produtos e serviços que compram ou utilizam.

Em suma, √© um resum√£o visual da experi√™ncia de compra e utiliza√ß√£o do seu produto ou servi√ßo. √Č super √ļtil para identificar poss√≠veis falhas ou acontecimentos inesperados.

Como fazer a sua jornada do usu√°rio? Aqui v√£o as instru√ß√Ķes.

Primeiro liste as etapas que ilustram a forma como um determinado usuário interage com um produto ou serviço (ou, ainda, um sistema);

Procure pensar no que ele faz e como faz, busque identificar possíveis pontos de
dificuldade ou d√ļvida. N√£o se esque√ßa de organizar as etapas em in√≠cio, meio e fim para facilitar o entendimento das expectativas e realidade.

Quanto maior o desafio, melhor o sprint!

Se o seu projeto levará meses ou anos para gerar resultados, fazer um sprint é altamente recomendável.

Veja alguns exemplos de situa√ß√Ķes desafiadoras que um sprint poderia ajudar.

Projeto de Alto Risco

Quando o problema é grande e a solução demanda muito tempo e dinheiro, o design sprint é a sua chance de conferir se o caminho a ser tomado está correto antes mesmo de segui-lo.

Assim você evita frustração e perda irrecuperável de tempo e energia.

Tempo insuficiente

Se voc√™ precisa achar boas solu√ß√Ķes rapidamente, ent√£o o sprint √© para voc√™.

Como já dito neste artigo, a essência do sprint é a velocidade: com ele você vai validar uma nova ideia em apenas cinco dias.

Projeto estagnado

Sabe aquela super ideia importante que não saiu do papel? Pois é.

Nessas situa√ß√Ķes o sprint pode agir tamb√©m como um propulsor!

“Nenhum problema √© grande demais para um sprint. (…) O sprint for√ßa a equipe a se concentrar nas quest√Ķes mais urgentes e permite que voc√™ aprenda a partir da superf√≠cie do que seria o produto final.” – Knapp, Jake

√Č importante lembrar que os sprints n√£o s√£o apenas para projetos de longo-prazo.


introdução ao cro conversion rate optimization

Design Sprint: O Segredo Das Estratégias Efetivas
3 votos (média de 5 estrelas)

Sobre o Autor

Guilherme Lacerda
Guilherme Lacerda

Diretor da Alaska Marketing Digital e blogueiro nas horas vagas.
Sou apaixonado por dados, inovação e tecnologia, o que me faz além de um entusiasta, um Growth Hacking por natureza. :)

VAMOS INVADIR SEU INBOX!

Os melhores hacks, ferramentas, dicas e novidades do Growth Hacking. Chega a√≠! ūüĎá