Design Thinking: O Que É e Porque Ele Vai Crescer Sua Empresa

Este artigo vai te explicar sobre: design thinking o que é, afinal? E como uma abordagem humana, traz a empatia para o processo de criação de novas ideias.

Ter o cliente no centro de todos os processos é uma máxima conhecida.

Contudo, o design thinking faz esta afirmação ser trabalhada de maneira a alavancar o processo de criação e inovação das empresas.

Isso porque é uma abordagem que orienta para o desenvolvimento colaborativo e focado no público da solução pretendida, seja ele de clientes ou funcionários, por exemplo.

Sumir com as verdades absolutas discutidas sob o ar condicionado e entre as quatro paredes é o principal feito deste mecanismo de trabalho que é flexível, uma vez que se adapta sobre as mais variadas realidades de negócio.

Neste post, mais detalhes sobre as etapas serão apresentadas, pois em design thinking o que é prioridade é o resultado por meio da empatia, da colaboração e da experimentação que devem impregnar a cultura da empresa para que a implantação seja efetiva.

Conheça mais desta abordagem, que é um dos diferenciais da Alaska — que a aplica junto ao growth marketing — a seguir.

Design Thinking o que é?

Os grandes gênios como Walt Disney já praticavam o DT sem que houvesse este nome classificar o que faziam.

Assim, é impossível determinar com precisão quando esta postura de trabalho de fato surgiu, uma vez que é da natureza humana ser empático.

Infelizmente esta habilidade tendia a se perder em meio à mecanização de procedimentos.

E é devido a isso que as diretrizes estruturadas da abordagem ganharam notoriedade e tem mérito principal da empresa de consultoria americana Ideo, que a escalou em níveis mundiais ao difundir seus processos e benefícios.

A facilidade de entendimento se inicia logo pelo nome, uma vez que pensar como um designer — em tradução livre do termo — significa harmonizar circunstâncias diversas (hábitos, estética, usabilidade e rentabilidade) a fim de trazer soluções efetivas, competência fundamental a todas as áreas de negócio.

Etapas do DESIGN THINKING

Apesar de flexíveis e não lineares, já que é possível voltar em etapas específicas desconsiderando a ordem lógica, o design thinking conta com etapas orientadas que se iniciam após o briefing do cliente.

Ao estarem todos cientes sobre os objetivos e os resultados esperados, as condições do processo também precisam ficar claras: ausência de pré-julgamento, o foco em um assunto por vez e o estímulo a cocriação.

E então as fases DT se iniciam.

Empatia

Primeira e principal parte do DT, a empatia se caracteriza, principalmente, no in loco.

Ou seja, ir até as pessoas, conversar com elas e observá-las de acordo com o contexto do produto do cliente, seja porque quer fazer parte daquele meio ou porque já está inserido e precisa de aprimoramento da experiência.

Fazer perguntas para melhor entender o que as pessoas sentem em relação ao produto, entender como se dá a utilização e a escolha são informações chaves que trarão insights ricos se o profissional estiver realmente disposto a ouvir, bem como problemas não pensados, mas que serão descritos pelas pessoas e precisarão ser resolvidos ou evitados.

A ideia aqui é ver o mundo como ele é sob os olhos de quem interessa: as pessoas que têm contato diário com a realidade em projeto.

Podem ser os clientes, os vendedores, os colaboradores da lojística e/ou fabricação, o que dependerá do briefing.

Design Thinking o que é

Importante lembrar que informações prévias, pesquisadas em fontes críveis são passo primário de todo trabalho, devendo as informações serem compartilhadas entre os membros para que, em campo, partam com o olhar mais aguçado e interado da realidade.

A persona, por exemplo, é o tipo de desenvolvimento gerado a partir da empatia, uma vez que precisa refletir a realidade do consumidor da marca em anseios, dúvidas, preferências e experiência com o produto ou serviço.

Definição

A partir da etapa anterior haverá muito o que analisar e repensar.

As novas perspectivas são expressas junto a todos que ouvem atentamente, a fim de identificar o real problema a ser solucionado, confirmando ou não as diretrizes contidas no briefing ou apontando a necessidade de reorientação, a fim de atender efetivamente o cliente.

Descrever o passo a passo da jornada do cliente, a partilha de ideias e insights, identificar conexões entre os diferentes pontos apresentados e estruturar todo este material fazem parte desta etapa.

Ideação

De forma multidisciplinar, a fim de ter contribuições distintas, mas que podem ser relevantes para a criação de algo novo a partir da visão diversa de profissionais de áreas diferentes, o brainstorm começa.

Estimular a colaboração sem julgamento, de maneira que haja muitas ideias, bem como colocar hipóteses e cenários em meio ao trabalho para gerar pontos novos de raciocínio e unir sugestões para a construção de mais uma possibilidade faz parte desta etapa.

Ao fim é preciso peneirar todas elas, de maneira a classificá-las em factível, viável, rentável para que seja possível optar pela melhor ideia.

Prototipação

A fase de materialização da ideia escolhida não deve ser rebuscada, mas apresentar os pontos principais de funcionalidade ou da experiência que se busca proporcionar ao usuário.

É preciso construir, de maneira rápida, uma amostra do que seria o produto ou serviço na realidade, seja por meios lúdicos (audiovisual, por meio de papelaria, etc) ou, até mesmo, versões com materiais inferiores ao que seria em grande escala para passar a ideia adiante.

Teste

Nada substitui a opinião do cliente.

Colocar o protótipo para dar a cara a bater trará ainda mais informações, com a validação ou desconsideração de atributos propostos nele, além de novos.

Observar e ouvir, como na primeira etapa, são habilidades cruciais para que as melhorias possam ser identificadas e aplicadas.

Design Thinking o que é

Design Thinking no marketing digital

A abordagem humanizada proposta pelo design thinking atende diretamente às necessidades do marketing digital que, em meio a grande concorrência, precisa garantir a pessoalidade no relacionamento e a efetividade dos conteúdos na realidade dos clientes, auxiliando no crescimento da marca.

Todas as etapas da abordagem fazem parte da rotina de atendimento aos clientes que precisam de resultados o quanto antes.

Para agilizar o processo, aqui na Alaska também somamos outras metodologias ao Design Thinking para atingir a estas expectativas.

É o caso do Scrum, metodologia que traz agilidade aos projetos a serem desenvolvidos que, através de períodos determinados — em tempo e objetivos a serem cumpridos —, chamados de sprints, orientam a equipe responsável de maneira a não perder o foco.

Ao somar estas duas posturas de trabalho com a expertise em growth marketing, a entrega atende em resultado, qualidade e tempo o que os negócios parceiros precisam.

Design Thinking: O Que É e Porque Ele Vai Crescer Sua Empresa
1 votos (média de 5 estrelas)

Sobre o Autor

Redator Alaska
Redator Alaska

Este artigo foi redigido por um de nossos redatores certificados em marketing de conteúdo e inbound marketing.

VAMOS INVADIR SEU INBOX!

Os melhores hacks, ferramentas, dicas e novidades do Growth Hacking. Chega aí! 👇