O que eu aprendi sobre Marketing Pessoal e ninguém nunca me contou

Trabalho com internet desde que entrei na faculdade, logo no terceiro mês consegui um estágio numa agência bem bacana aqui em Ribeirão e me efetivei, e posso dizer que se soubesse do poder que o Marketing Pessoal me possibilitaria naquela época, provavelmente teria aproveitado muito mais oportunidades – por sorte comecei jovem demais.

O maior indício de que o marketing pessoal funciona, é justamente perceber que alguns dos meus ex-colegas de faculdade e trabalho começaram a se dedicar na construção de sua própria marca: eles mesmos!

O reconhecimento veio com o tempo, conforme foram continuamente trabalhando a si próprios.

Hoje tenho colegas palestrantes, professores e até influenciadores. <3 (Parabéns, pessoal!)

Sem mais blá, blá, blá… o eu que aprendi observando não só a minha rede de contatos, mas também o comportamento de influenciadores em toda a internet? E como começar a construir a própria imagem de forma saudável e natural?

Te esclarecer isso é a missão deste artigo. 😉

O que é Marketing Pessoal?

De forma simples e direta, Marketing Pessoal é a utilização de conceitos e técnicas de marketing, aplicados a construção da imagem de pessoas.

A ideia é trabalhar o constante branding do indivíduo, seja disseminando ensinamentos, opinando ou agindo fortemente dentro de determinado segmento.

O objetivo é conquistar autoridade em determinado assunto, o que, naturalmente, trará o status de influenciador.

Porque fazer marketing pessoal?

Essa pergunta pode ser facilmente respondida da mesma forma como se tivesse sido feita para serviços ou produtos: “porque fazer marketing?”.

O consumidor tende a confiar incomparavelmente mais em produtos ou empresas que possuem marcas com certa reputação já desenvolvida, afinal, é o que costuma certificar a qualidade e confiabilidade por parte de quem também já consumiu.

Você compraria um carro de uma montadora que nunca ouviu falar? Dificilmente.

Mas já parou pra pensar que existem casos de montadoras de carro relativamente recentes, mas que já conquistaram os holofotes da sociedade em questão de pouquíssimo tempo? Não estou dizendo que a história dessas empresas sejam curtas (provavelmente não são), mas que elas alcançaram o “gosto popular” assim que começaram a pensar na construção da sua marca.

Quando se trata de construir o branding de indivíduos, não é diferente. O objetivo continua sendo conquistar seguidores, que consequentemente poderão se tornar consumidores.

O LinkedIn é um excelente canal para divulgar seus artigos e construir autoridade.

O que ninguém nunca te contou sobre branding

Uma coisa que você deve ter em mente é que marcas não são produtos, empresas ou pessoas. Marcas são marcas. E tudo pode ser uma marca!

Segunda a própria definição, no Wikipédia:

“Marca é a representação simbólica de uma entidade, qualquer que ela seja, algo que permite identificá-la de um modo imediato como, por exemplo, um sinal de presença, uma simples pegada. Na teoria da comunicação, pode ser um signo, um símbolo ou um ícone. Uma simples palavra pode referir uma marca.”

Então uma marca é a representação simbólica de qualquer coisa, e ela pode ter qualquer forma: sonora ou visual. É por isso que o design – e não só o design – é tão importante no universo da publicidade, pois ele tem a capacidade de comunicar um padrão, que torna-se uma identidade conforme for trabalhado.

Logo, para que seu público se lembre de você, é preciso construir a sua identidade, algo em que possam assemelhar ao seu jeito de falar, pensar e agir. Sua marca.

Como fazer Marketing Pessoal online

A primeira coisa que você precisa saber é que o Marketing Pessoal nunca estará pronto – é um constante trabalho, que reflete e evolui conforme a própria evolução do indivíduo, a entidade em questão.

Se eu puder te dar uma dica valiosa sobre marketing pessoal, ela é: estude e evolua sempre! Quanto mais experiência tiver, mais conhecimento terá para compartilhar com seu público, se tornando assim referência em seu segmento.

Tendo compreendido o fundamento do branding, aqui vão algumas dicas para você utilizar em prol da sua marca:

  • Não force uma situação, seja natural

Esse é um “erro” que muitos cometem ao iniciar a construção da própria marca: forçam situações ou perdem a mão ao compartilharem opiniões e notícias.

O problema nisto é que na maioria das vezes seu texto irá transparecer o esforço artificial.

Lembre-se: conteúdo útil deve ser útil de verdade, as pessoas devem ter um motivo muito bom para lerem! Portanto, use seu bom senso e sempre se pergunte antes de opinar qualquer coisa: isso realmente será importante para alguém? Eu falaria sobre isso se não estivesse preocupado com meu marketing pessoal?

Se no fundo você não se enxergar opinando sobre determinado assunto, talvez seja melhor pensar um pouquinho mais.

Não estou querendo te reprimir, só não se esqueça de ser você. 😉

  • Esteja em canais onde os profissionais do segmento estão, ou crie o canal!

A dica de agora vai de encontro com a anterior: se seu círculo de contatos estiver dentro de grupos no facebook, não faz sentido publicar determinado conteúdo na linha do tempo. A atualização passará batida pelos seus contatos e isso pode te atrapalhar, pois o algoritmo da rede social não irá elevar o engajamento das suas futuras publicações.

O segredo aqui é estar em canais de relevância, como o LinkedIn, grupos específicos no Facebook, fóruns e até comentando em blogs. Se quer uma dica valiosa mesmo, é começar o seu próprio blog e compartilhar os artigos nos demais canais já citados – desta forma você terá um canal e audiência própria, além do controle de todo o material publicado.

Se fizer sentido para o seu caso (e na maioria dos casos, fará) crie uma página no facebook, um grupo do seu segmento caso já não exista, e um perfil no LinkedIn.

  • Seja o canal!

Por último, eu separei a dica mais valiosa dentre as dicas valiosas!

Com o excesso de informações que nos bombardeiam diariamente, tendemos a seguir qualquer canal que nos filtre aquilo que queremos ler.

O que quero dizer com isso?

Encare seus canais (seja pessoal, produto ou empresa) como um filtro de informações nas redes sociais. Separe e entregue aquilo que seu público tenha interesse, sempre. Desta forma você indiretamente consegue estreitar um relacionamento entre os usuários e sua marca.

Se tiver interessado no assunto, temos um artigo focado em conteúdo para atração e compreensão de personas.

Marketing Pessoal em Ribeirão Preto

Marketing Pessoal em Ribeirão Preto para fechar negócios

Como percebido, para trabalhar o marketing pessoal na internet você precisa agir e se relacionar! No mundo real não é diferente.

Pensando em ajudar os leitores da minha cidade, Ribeirão Preto, a praticarem o marketing pessoal, contextualizei as dicas abaixo.

Elas também são válidas para qualquer outro local ou região, basta levar para o seu contexto da sua cidade.

Aqui vão elas:

  • Participe de palestras e debates do seu segmento, existem diversas escolas em Ribeirão.
  • Proponha encontros, dê palestras e tente fomentar o mercado profissional.
  • Por que não gravar vídeos, webinars ou até mesmo escrever livros ou ebooks? Qualquer forma de levar o conhecimento adiante é válida.
  • Faça aulas ou participe de cursos rápidos, são ótimos para networking.
  • Relacione-se!

Espero que o artigo tenha sido útil em esclarecer o que é e como fazer marketing pessoal. 😉 Qualquer dúvida basta deixar nos comentários, obrigado.

O que eu aprendi sobre Marketing Pessoal e ninguém nunca me contou
Avalie o post

Sobre o Autor

Guilherme Lacerda
Guilherme Lacerda

Diretor da Alaska Marketing Digital e blogueiro nas horas vagas.
Sou apaixonado por dados, inovação e tecnologia, o que me faz além de um entusiasta, um Growth Hacking por natureza. :)

VAMOS INVADIR SEU INBOX!

Os melhores hacks, ferramentas, dicas e novidades do Growth Hacking. Chega aí! 👇